16 fevereiro, 2017

REPSOL apoia Startups inovadoras portuguesas


A Fundação Repsol, através do seu fundo de empreendedores, vai apoiar startups portuguesas inovadoras no setor da energia e da mobilidade.

O apoio é feito às startups que apresentem as soluções mais inovadoras na área da indústria energética e química, da geração, distribuição e armazenamento de eletricidade e da mobilidade. As candidaturas são submetidas online e as propostas selecionadas vão receber um apoio financeiro a fundo perdido que poderá ir até 144 mil euros num ano, para além de formação especializada, aconselhamento de uma equipa de mentores e acesso a possíveis investidores.

O processo de aceleração, que tem a duração de um ano, pode prolongar-se para um segundo ano no caso das candidaturas da categoria “projetos”. No caso das candidaturas da categoria “ideias”, os projetos são apoiados com dois mil euros por mês, durante um ano.

É a primeira vez que a Fundação Repsol abre candidaturas em Portugal, tendo escolhido para o Instituto de Engenharia de Sistemas e Computadores, Tecnologia e Ciência (INESC TEC) como parceiro nacional desta iniciativa. Os projetos ibéricos selecionados vão ser anunciados em julho e, a partir daí, apoiados financeiramente todos os meses. As candidaturas estão abertas até dia 31 de março no website da fundação.

Alteração do prazo para a dedução de prejuízos fiscais


Com a publicação do Orçamento de Estado para 2017 o prazo de reporte dos prejuízos fiscais gerados a partir de 1 de Janeiro de 2017 passou para 5 anos (exceto para as PME abrangidas pelo Decreto-Lei 372/2007, de 6 de novembro, para as quais o prazo se mantém nos 12 anos) diminuindo assim o período de 12 anos para os prejuízos gerados a partir de 1 de Janeiro de 2014.

Um dos problemas desta alteração diz respeito ao facto do reporte referente a prejuízos de 2017 poder ficar completamente perdido uma vez que, uma empresa que em 2022 ainda tenha prejuízos fiscais referentes a períodos anteriores 2017 terá de os deduzir esgotando-se assim o prazo de reporte dos prejuízos de 2017.

Neste sentido, com a publicação do Orçamento de Estado de 2017, esta regra que determina que os prejuízos fiscais a deduzir devem ser os apurados há mais tempo foi eliminada evitando assim que os prejuízos mais recentes caduquem, permitindo-se que sejam deduzidos primeiro aqueles cujo período de reporte se esgote primeiro.

Lançamento do "RegioStars Awards 2017"


A Comissão Europeia lançou mais um período de candidaturas ao RegioStars Awards 2017. Trata-se de uma competição anual que tem como objetivo identificar as boas práticas de desenvolvimento regional e destacar projetos originais e inovadores que possam ser inspiradores para outras regiões. Existem 5 categorias a concurso: Especialização Inteligente para a Inovação nas PME; Ação Climática; Fortalecimento das Mulheres e sua Participação Ativa; Educação e Formação; e, Cidades e Transição digital.

A cerimónia de entrega de prémios irá decorrer em Outubro durante a Semana Europeia das Regiões e das Cidades que terá lugar em Bruxelas.

As candidaturas estão abertas até 10 de abril de 2017 em www.regiostarsawards.eu

14 fevereiro, 2017

Design Thinking: uma ferramenta multiuso que incrementa o negócio


Frequentemente, as capacidades criativas são esquecidas na resolução dos problemas mais convencionais devido ao excesso de confiança no pensamento racional. Neste sentido, estimular o pensamento criativo dos colaboradores pode transformar a forma como as organizações desenvolvem produtos, serviços, processos e estratégias, encontrando soluções desejavelmente equilibradas, quer do ponto de vista humano quer tecnológico, e economicamente viáveis, numa vasta gama de desafios.

Consciente desta realidade, a EDIT VALUE® Formação Empresarial promove no dia 20 de fevereiro em parceria com a Mindshake, o Workshop Design Thinking - pensar com criatividade. Este workshop será dinamizado por Katja Tschimmel, fundadora da Mindshake e do modelo Design Thinking Model Evolution 6 o qual será utilizado na sessão desafiando as rotinas mentais de trabalho do dia-a-dia das organizações.

O Design Thinking é entendido hoje como uma forma de pensar que conduz à transformação e inovação no trabalho de equipas multidisciplinares. É um mindset que ajuda a pensar diferentemente, com fluidez, flexibilidade e empatia, potenciando a evolução do modelo de negócio e cada vez mais enraizado nos modernos métodos de gestão.

Sendo a criatividade e a resolução de problemas as competências chave nesta quarta revolução industrial para o desenvolvimento das pessoas enquanto profissionais, desafiamos as empresas e suas equipas a conhecer e desenvolver este método para a inovação. Poderá formalizar a sua inscrição em: formacao.editvalue.com.

10 fevereiro, 2017

Medida Cheque-Formação: formação financiada a 90%!


O Cheque-Formação visa incentivar à formação profissional, constituindo-se como um instrumento potenciador da criação e manutenção do emprego e do reforço da qualificação e empregabilidade. A formação a frequentar no âmbito da Medida Cheque-Formação deve ser ministrada por uma entidade formadora certificada.

São beneficiários os ativos empregados com idade igual ou superior a 16 anos, independentemente do seu nível de qualificação e cujas candidaturas podem ser apresentadas pelos próprios ou pelas respetivas entidades empregadoras e, os desempregados inscritos no IEFP - Instituto do Emprego e Formação Profissional, há pelo menos 90 dias consecutivos com idade igual ou superior a 16 anos e detentores de nível 3 a 6 de qualificação.

O apoio a atribuir aos ativos empregados considera: 
- A duração de 50 horas de formação no período de 2 anos;
- Um valor/hora de 4 euros, num montante máximo que poderá atingir os 175 euros, sendo que o apoio a atribuir não pode exceder 90% do valor da ação de formação comprovadamente pago.

A EDIT VALUE® Formação Empresarial encontra-se ao dispor para o desenvolvimento dos respetivos projetos formativos, em virtude de ser uma entidade formadora certificada, bem como para o apoio na realização da candidatura para os colaboradores da sua empresa.

09 fevereiro, 2017

Linha de Apoio à Valorização Turística do Interior


Encontram-se abertas as candidaturas à Linha de Apoio à Valorização Turística do Interior, cujo principal objetivo é o apoio ao investimento a iniciativas/projetos com interesse para o turismo e que promovam a coesão económica e social do território.

Enquadram-se nesta linha de apoio as seguintes tipologias de projetos e iniciativas: projetos de valorização ou incremento da oferta de percursos cicláveis, pedonais; projetos de valorização do património e dos recursos endógenos das regiões ou de desenvolvimento de novos serviços turísticos, nomeadamente no contexto do turismo cultural, termal, equestre, gastronómico, de natureza, militar e ferroviários; projetos de valorização e de qualificação das aldeias portuguesas; projetos que tenham em vista a estruturação de programas de visitação turística em destinos de interior.

Podem ser alvo de apoio os investimentos em obras de construção e adaptação; a aquisição de bens e de equipamentos; as ações de promoção nacional e internacional; os suportes informativos físicos e/ou digitais multi-idioma, incluindo desenvolvimento de conteúdos e website, entre outros.
Podem candidatar-se a esta linha as entidades públicas, as entidades regionais de turismo e as empresas e outras entidades privadas. Para as entidades privadas o apoio tem um limite de 150 mil euros, por entidade, e assume a natureza de financiamento reembolsável, sem juros, com um prazo de carência de 2 anos e pagamentos durante 7 anos. Mediante o alcance de determinadas metas, as entidades privadas poderão ter 50% do financiamento convertido em subsídio a fundo perdido.

As candidaturas a esta linha de apoio podem realizar-se até 31 de dezembro de 2017.

Mais informações estão disponíveis em www.turismodeportugal.pt

IRS e declaração automática de rendimentos


O  Orçamento do Estado para 2017 prevê a criação de uma nova declaração de rendimentos automática.

Esta declaração provisória já se aplicará aos rendimentos de 2016, mas apenas para os contribuintes com situações fiscais consideradas mais simples, nomeadamente aqueles que apenas tenham auferido rendimentos de trabalho dependente, pensões (com exclusão dos rendimentos de pensões de alimentos), e rendimentos sujeitos a taxas liberatórias que não optem pelo englobamento.

Além dos requisitos ao nível do tipo de rendimento auferido em 2016, a declaração de rendimentos automática só ficará disponível para os contribuintes que: obtenham rendimentos em território português; não tenham recebido gratificações que não tenham sido atribuídas pela entidade patronal; sejam residentes durante a totalidade do ano; não tenham estatuto de residente não habitual; não usufruam de benefícios fiscais e não tenham acréscimos aos rendimentos por incumprimento de condições relativas a benefícios fiscais; não tenham pago pensões de alimentos; e, não tenham dependentes a cargo nem deduções relativas a ascendentes.

Tendo por base os elementos informativos relevantes que dispõe, a AT - Autoridade Tributária e Aduaneira irá disponibilizar no Portal das Finanças uma declaração de rendimentos provisória por cada regime de tributação, separada e conjunta, (quando aplicável), onde irá constar a correspondente liquidação provisória do imposto assim como os elementos que serviram de base ao cálculo das deduções à coleta.

Os contribuintes que verificarem que os elementos apurados pela AT estão corretos, podem confirmar a declaração provisória, que assim se considera entregue. Se, por outro lado, a informação disponibilizada pela AT não estiver correta, os contribuintes não devem confirmar a informação pré-preenchida, mas antes preencher a declaração de IRS pelas vias normais. Caso não façam nada até 31 de maio, esta declaração provisória converte-se em definitiva, ainda que seja sempre possível entregar uma declaração de substituição nos 30 dias posteriores à liquidação sem qualquer penalidade.